Os benefícios da natação:

A natação é um dos desportos mais completos e mais acessíveis a todo o género de pessoas; bebés, grávidas e idosos podem tirar vantagem desta modalidade desportiva de reduzido impacto para a estrutura óssea. Normalmente, existem programas de trabalho dirigidos a diferentes faixas etárias, condições dos candidatos e grau de habilidade (principiante, intermédio ou avançado). Este pode ser encarado como um desporto de competição, uma modalidade associada a alguns tipos de terapia ou apenas como uma forma de aplacar as tensões diárias. É uma ótima opção para vencer o sedentarismo.

A água, “matéria-prima” da natação, detém características relaxantes e fautoriza as funções orgânicas, sendo desprovida de efeitos agressivos. Assim, quaisquer que sejam as circunstâncias, idade, sexo ou profissão, salvo em situações de desaconselhamento médico, toda a gente pode e deve praticar natação, pois esta, apresenta grandes benefícios para a saúde

A natação diminui os riscos de incidência de doenças cardiovasculares. De facto, as braçadas vão tornando o coração mais forte, favorecendo a formação de músculo, ao mesmo tempo que eliminam a gordura em torno deste órgão vital, de modo que este adquire a capacidade de bombear mais sangue para todo o corpo. Paralelamente, esta atividade física reduz a frequência cardíaca e estimula a circulação sanguínea.

A natação também fortalece os músculos da parede torácica, o que permite a elasticidade dos pulmões e que os torna capazes de absorver uma maior quantidade de oxigénio. Isto faz com que se experimente uma melhoria significativa no processo respiratório.

As articulações são, igualmente, beneficiadas. Aumentando de tamanho, os músculos resguardam com eficácia superior tendões e ligamentos. A natação leva ainda ao exercício de todas as articulações, potencia a sua agilidade e promove a lubrificação destas, contribuindo para o alívio das dores resultantes de artroses. Patologias como a fibromialgia têm com a natação uma calmia dos sintomas dolorosos, à semelhança de outras que impliquem padecimentos relacionados com a dor.

Um dos outros proveitos da natação, diz respeito ao aumento da autoestima. Os indivíduos que praticam desporto sentem-se mais seguros e são, em geral, mais independentes. Para além disto, a água propicia uma liberdade de movimentos não equiparável a outras atividades “secas”. O cariz lúdico constitui um importante coadjutor do relaxamento mental.

Outro dos aspetos da natação que interessa bastante é o retardamento das consequências do envelhecimento, quer em termos físicos, quer psicológicos. Diversas pesquisas certificam que uma pessoa que faz exercício com regularidade tem maior aptidão física do que outra vinte anos mais nova que não pratique qualquer desporto.

Na realidade, a natação interfere e trabalha toda a musculatura do corpo, e a amortização do impacto dos movimentos do nadador pela água torna quase nula a probabilidade de sofrer alguma lesão.

Em acréscimo, a natação ajuda a queimar calorias (podendo chegar às 600 por hora) e colabora na definição da silhueta. Aperfeiçoa, também, a coordenação motora e ativa a memória, na medida em que garante uma excelente oxigenação cerebral.

A natação é um dos grandes aliados no combate ao stress, pois a enorme concentração necessária para conciliar respiração e movimentos leva a uma sublimação das tensões e a um distanciamento dos problemas do quotidiano.

Aos cidadãos portadores de deficiências, a natação proporciona ampliação do potencial do seu organismo como um todo, a par de uma melhoria da autoimagem e de uma maior inserção social. A vertente emocional é deveras relevante neste grupo de alunos, uma vez que lhes faculta o abandono temporário do seu mecanismo de locomoção (cadeira de rodas, canadianas, aparelhos ortopédicos, …), concedendo-lhes desfrutar de independência, fomentadora da autoestima. Adicionalmente, a prática da natação, para eles, é muito gratificante porque nem toda a gente sabe nadar.

 

A natação para bebés:

No que diz respeito aos bebés, os especialistas sustentam que a natação concorre para o desenvolvimento de um sistema respiratório mais resistente a doenças e alergias, e da musculatura esquelética, nomeadamente ao nível da coluna vertebral, que apoia o corpo. Por outro lado, auxilia o desenvolvimento neuro-motor, psicossocial (relacionamento e contacto com outras pessoas), cognitivo (músicas, brincadeiras e vocabulário novo) e cárdio-respiratório. Leva a um incremento do apetite e induz um sono mais tranquilo por causa do cansaço físico.

Tem a virtude de acalmar os bebés hiperativos e de instigar o hipo ativo. Trabalha noções de espaço e de tempo, industriando psicológica e neurologicamente a criança para o auto-salvamento. Consolida a relação entre pais e filhos e trabalha o equilíbrio físico e mental. Aliás, um dos principais momentos da natação com bebés é a exercitação incessante que se faz com os pais. Trata-se da inteligência emocional que, por meio de ações particulares, conduz a uma aproximação entre os próprios bebés, os pais e os professores. Este convívio revela-se de colossal relevo para o desenvolvimento afetivo, já que, como é sabido, o controlo emocional é modelado aos dois anos de idade.

As mães devem ter uma participação ativa e entusiasta nas aulas, reforçando reiteradamente o vínculo materno. De salientar que os bebés só poderão integrar as aulas de natação sob o consentimento expresso do médico que habitualmente os segue.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.